Os 10 maiores erros de quem começa a pedalar

O ciclismo tem sido um esporte dos mais adotados no país todo, e há vários motivos para isso. O problema é que muita gente, quando vai começar a pedalar, acaba cometendo alguns erros básicos e que podem custar bem caro.

O fato é que todas as dicas aqui são muito valiosas e, desde o começo, vão fazer a diferença para você que está começando a pedalar. No entanto, ressaltamos que as dicas 8, 9 e 10 realmente são muito incríveis e farão sentido desde agora, quando você acabar de ler essa matéria.

Foto: (reprodução/internet)

1 – O kit de emergência

Talvez você ache esse o tópico mais bobinho do texto. Porém, ele fará muito sentido quando você precisar dele. E não estamos aqui dizendo que você não sabe o que está fazendo ou que não sabe pedalar ou que vai se acidentar ou cair no buraco, nada disso.

Foto: (reprodução/internet)

O que estamos dizendo é que estar preparado pode salvar a sua… “pele”, vamos dizer assim. Então, tenha sempre um pequeno kit de emergência na bolsa, na bike ou perto de você. E esse kit de emergência não é o de saúde, e simmesmo.

Por exemplo, monte ele com base na sua bicicleta, podendo ter aqueles reparos para a câmara de ar, algumas chaves para a reposição ou conserto da corrente. E além disso, claro, é sempre bom ter uma pomadinha, um remedinho, água e algum tipo de alimento.

2 – O nível de experiência

Com certeza o maior ou um dos maiores erros de quem começa a pedalar é achar que vai conseguir fazer um trajeto ultralongo ou super rápido, como aquelas pessoas que ele segue no Instagram consegue. O erro está em não respeitar o próprio nível de condicionamento.

Foto: (reprodução/internet)

Andar de bicicleta parece fácil, mas não é. Existe uma série de cuidados que você precisa ter para não fazer esse esporte se tornar um vilão da sua história. Pedalar é legal, é saudável, é dinâmico, é ótimo. Porém não tente ultrapassar os próprios limites sem se conhecer.

Para quem está começando mesmo, a dica é a seguinte: procure trajetos mais fáceis, mais próximos de casa e que não exija manobras mirabolantes. A partir disso, saiba que tudo vai acontecer no seu tempo, com base no seu progresso e desenvolvimento.

3 – O respeito com o trânsito

Muita gente que começa a pedalar acha que porque está sobre uma bike tem o direito de fazer o que bem entender e não é assim que funciona. Uma das primeiras regras é ter consciência e respeito com o trânsito.

Foto: (reprodução/internet)

Por exemplo, a calçada foi feita para pedestres andarem. Enquanto isso, as ciclovias são para bicicletas. E quando não se tem ciclovia, então, deve-se optar pelas ruas, mas sempre andando na direita. Por isso mesmo, opte por ruas mais calmas.

Outra boa dica é saber que a bike não te dá o direito e nem a imunidade para furar o sinal vermelho. A regra vale para todos, inclusive para você. Andar no corredor de ônibus também é errado e sempre sinalize o que você vai fazer.

4 – A postura na atividade

Uma próxima dica que temos aqui que faz todo sentido para quem está começando é sobre a postura que você tem na atividade física. Obviamente, em um primeiro momento pode ser que você nem note isso, mas saiba que ter uma boa postura será fundamental.

Foto: (reprodução/internet)

E será fundamental por vários sentidos, como para que você tenha mais possibilidades de praticar o exercício com prazer, evitando dores ou até mesmo incômodos. E não é que você precise ser um especialista em bicicleta, mas entender o básico da ergometria é importante.

Uma das curiosidades negativas do ciclismo é que as pessoas são lesadas, em boa parte das vezes, devido a postura incorreta. Isso pode causar, por exemplo, um tensionamento na perna e até mesmo na coluna. Por isso, estude a postura correta e ideal para a sua corrida.

5 – O uso dos equipamentos

O uso de equipamentos de alto nível logo no começo não é uma boa estratégia por vários motivos. Se você está começando é ideal que pense tanto em uma bicicleta quanto em acessórios e equipamentos que condizem com essa realidade.

Foto: (reprodução/internet)

A ideia de que uma bicicleta mais leve e mais profissional vai te tornar um atleta melhor e mais rápido não é verdadeira. É claro que você poderá chegar lá. Mas isso acontecerá com disciplina e treino e não, necessariamente, como uma bike robusta.

Ou você pensou que corredores que são mais rápidos conseguem isso porque usam tênis melhores? Uma coisa é pensar no conforto e na adaptação do calçado. Outra é pensar que eles são mais importantes do que quem vai usá-los. O mesmo vale para o ciclismo.

6 – A escolha da bicicleta

A gente ia deixar a parte da bicicleta só no que falamos acima. Porém, pensamos melhor e definimos que ela precisa ter um tópico só dela. Afinal, muita gente erra na hora de escolher a bicicleta também. E nem estamos falando sobre mountain ou speed, não é isso.

Foto: (reprodução/internet)

A dica nesse caso é sobre pensar em um modelo que se adeque ao seu biótipo, além de se adequar ao seu bolso também. Em caso contrário, isso poderia significar dores, lesões e até mesmo a desistência da prática desse esporte tão incrível, que é o ciclismo.

É claro que considerar o tipo de bicicleta vai importar, mas tente não se apegar somente a isso. É preciso ver também sobre freios, bancos, pedais e muito mais. Tanto é que hoje em dia é muito simples encomendar uma bike sob medida, ideal para você.

7 – A manutenção da bicicleta

Para complementar o que falamos acima, considere que a manutenção da bike também tem o seu desafio. Para quem conhece pouco ou não conhece nada sobre elas, saiba que usar querosene ou óleo de cozinha não é legal – apesar de ser muito comum aqui no Brasil.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Apesar de ser um quebra galho em muitos casos, considere que esses apetrechos não são recomendados porque não são tão vantajosos quanto parece. Eles possuem substancias impróprias para a limpeza, que podem piorar a sua situação e até retirar a graxa interna.

Portanto, se há uma boa dica aqui é: use os produtos apropriados para ela. Isso pode parecer mais caro no começo, mas, com certeza, vai te fazer economizar um dinheirão lá na frente.

8 – Os equipamentos de segurança

Mais um dos pontos mais importantes do texto está aqui. Até mesmo porque muita gente se desfaz e desmerece isso. Mas vamos lá porque nunca é demais repetir: faça o uso correto e completo dos itens de segurança. Pelo menos, do mínimo que é indicado.

Foto: (reprodução/internet)

Aqui entra na lista: capacete, óculos, bretelles, sinalizadores, etc. Em alguns casos, dá para ser ainda mais especifico, mas isso depende do seu nível de exercício, do local e até mesmo do tempo. Em alguns casos, levar até uma espécie de triângulo de sinalização é bacana.

Ah, outra coisa sobre isso tem a ver com o vestuário adequado. Isso não é um item de segurança, obviamente. Porém pode ser importante para você ter um melhor desempenho e, sim, de fato, se proteger. Então, pense em roupas e sapatos adequados, hein.

9 – A nova alimentação

Se você era sedentário e começou a praticar um esporte, como é o caso do ciclismo, considere que a sua alimentação precisa ser regulada de novo. Isso não tem a ver com comer mais ou comer menos, ok? E sim com comer conforme o seu treino. Essa é a chave do sucesso.

Foto: (reprodução/internet)

Portanto, pode até ser que você queira emagrecer. Porém, ficar sem comer não é a melhor saída. Se quer ganhar massa, saiba que comer muito também não é o ideal. Então, o que se deve comer antes de pedalar ou depois de pedalar? Essa resposta é muito pessoal.

E começa com o autoconhecimento e o seu nível. Sendo que quanto mais longo o trajeto e maior o seu esforço, então, mais energia você precisará ter para gastar. E ter energia não é comer um cachorro quente ou uma pizza, ok? A dica é encontrar um bom nutricionista.

10 – O pedalar na contramão

Olha, a gente nem queria falar sobre isso porque parece um absurdo, mas na internet notamos que é um erro muito comum de acontecer, especialmente, na vida de quem está começando a pedalar. Preste a atenção nisso: andar na contramão não é nada indicado.

Foto: (reprodução/internet)

E há várias razões que provam isso. No entanto, considere que o motorista do carro, da moto ou até mesmo de outra bicicleta tende a ver o que está no seu sentido, na sua direção e não no contrário. Isso vale para quando vai virar uma rua por exemplo.

Além do mais, a velocidade de um acidente entre dois elementos de frente tem um impacto muito maior. E aquela ideia de que você estará “preparado” não faz sentido porque quase nunca dá tempo de desviar de verdade. Portanto, na contramão não, ok?

Competições para iniciantes?

Uma última curiosidade que trouxemos aqui é saber que com o crescimento do esporte, muitos eventos estão se adaptando para os novatos. Assim sendo, hoje é bastante fácil encontrar aqueles que possuem distancia menor ou com percurso mais tranquilo. Esse pode ser um bom começo para você que também quer competir.