Essas são as atletas femininas mais importantes da última década

O esporte, assim como qualquer atividade cultural, já foi um espaço de exclusão das mulheres. Por muito tempo, elas tiveram que se contentar com deveres já ditados e outras relações com as suas potencialidades.

Assim que o esporte esteve aberto ao mundo feminino, as mulheres marcaram história por diversas modalidades. A nossa equipe organizou uma lista com as atletas mais importantes da última década de diferentes esportes.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Ginástica Artística – Daiane dos Santos

A atleta nascida em Belo Horizonte possui nove medalhas de Ouro por etapas de copas do mundo. Entre esportistas do gênero masculino e feminino, Daiane foi a primeira a ganhar o ouro no Campeonato Mundial.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Atleta da ginástica artística, Daiane representou o Brasil em três Olimpíadas, sendo elas a de Atenas, a de Pequim e a de Londres. A sua influência e talento são tão grandes que alguns movimentos da modalidade foram atribuídos a ela, como o duplo twist carpado e o duplo twist esticado.

Vôlei – Kerri Walsh

A atleta norte-americana de vôlei de praia é a maior campeã olímpica de sua modalidade. A conquista de três medalhas de ouro em Atenas 2004, Pequim 2008 e Londres 2012 foram possíveis por conta de sua parceira de dupla, Misty May-Treanor.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Kerri se uniu a April Ross a partir de 2013. A dupla perdeu para as brasileiras Ágatha e Bárbara na semifinal dos Jogos do Rio 2016. A atleta foi campeã mundial por três vezes, em 2003, 2005 e 2007. Em 2011, foi medalhista de prata em Roma.

A jogadora iniciou a sua carreira na Archbishop Mitty High School, na Califórnia, no ano de 1996. Após isso, foi jogar pela Stanford University. A sua estreia nos Jogos Olímpicos foi pelo vôlei de quadra.

Luta – Ronda Rousey

A atleta nascida na Califórnia, nos Estados Unidos, é uma das maiores das lutas profissionais e das artes marciais mistas. Ronda participa do programa Raw da WWE, tendo sido a maior campeã da competição de luta livre feminina.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Ronda foi a primeira mulher de seu país a conquistar uma medalha olímpica em judô, sendo um bronze em Pequim 2008. Além disso, a atleta é conhecida por suas performances na UFC, sendo ex-campeã do peso-galo.

Além disso, também foi a última vendedora do peso-galo do Strikeforce. Ela venceu por 12 vezes consecutivas lutas de AMM, sendo seis delas no UFC. Onze lutas foram vencidas no primeiro assalto e outras nove por finalização.

Esqui – Marit Bjørgen

Marit nasceu na Noruega e se especializou no esqui de fundo. A atleta participa dos fogos de inverno por conta da sua modalidade. Em 2010, nos Jogos Olímpicos de Vancouver, a atleta foi a maior medalhista, conseguindo cinco medalhas, sendo três delas de ouro.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Na próxima edição das Olimpíadas de Inverno, em Sóchi, a esquiadora conquistou três medalhas de ouro. Nos Jogos de PyeongChang, a atleta ainda ganhou mais cinco medalhas. Desse modo, se tornou a atleta com mais medalhas na história dos Jogos de Inverno.

Tênis – Serena Williams

Serena é uma jogadora profissional de tênis. Não somente uma atleta, a norte-americana é considerada uma das maiores de todos os tempos. Serena é a maior ganhadora do Grand Slam na era aberta, com 23 vitórias. Este número a deixa em segundo lugar da lista de vencedoras de torneios de majors, perdendo apenas para a australiana Margaret Smith Court.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Além dos 23 Grand Slams individuais, ela ganhou outras 14 competições deste porte com duplas. Doze vitórias em dupla foram com a sua irmã, Venus Williams e outras duas em duplas mistas. Com isso, Serena possui 39 títulos gerais Grand Slams.

Nos Jogos Olímpicos de Sydney 2000, Pequim 2008 e Londres 2012 foi medalhista de ouro em duplas. Em Londres, ainda levou mais um ouro para casa, disputando no simples. Ao longo de sua carreira, já arrecadou US$ 92.543.816 e continua ganhando. Em 2020, seus ganhos totais foram avaliados em US$ 36 milhões.

Ginástica Artística – Simone Biles

Também da ginástica artística, a norte-americana Simone Biles é muito competente. Já ganhou 25 medalhas em campeonatos mundiais, dentre elas, 19 de ouro. Na categoria individual, Simone já foi campeã mundial 5 vezes.

Fonte: (Reprodução/Internet)

É a primeira mulher que conquistou três Mundiais consecutivos na categoria individual geral. A atleta conseguiu, nas Olimpíadas do Rio, quatro medalhas de ouro nas categorias de equipe, solo, salto e individual geral e ainda uma de bronze na categoria trave olímpica. Dessa maneira, esteve no pódio olímpico cinco vezes.

Com o seu destaque da última década, em 2016, a atleta foi nomeada pela BBC como uma das 100 mulheres mais inspiradoras e influentes. Em 2017 recebeu o Prêmio Laureus do Esporte Mundial de atleta do ano.

Esqui – Lindsey Vonn

Lindsey, natural dos Estados Unidos, é uma grande atleta aposentada de esqui. Em sua carreira, dividiu o título com Annemarie Moser-Proll, de ganhar quatro vezes a Copa do Mundo de esqui alpino.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Além disso, foi a primeira mulher americana a ganhar uma medalha olímpica de esqui, vencendo os Jogos Olímpicos de Inverno de 2010. A atleta teve 82 vitórias em etapas diferentes da Copa do Mundo, tendo sido superada apenas pelo sueco Ingemar Stenmark, que já venceu 86 vezes.

Vonn ganhou em 2010 o Prêmio Laureus do Esporte Mundial. Durante a sua trajetória sofreu muitas lesões, estas que contribuíram para que ela não atuasse durante um tempo. Já em 2019, a atleta se aposentou.

Automobilismo – Danica Sue Patrick

Nascida nos Estados Unidos, Danica é uma piloto de automobilismo profissional que atualmente compete na NASCAR, na principal divisão da competição. Em 2005, foi a segunda mulher a conquistar uma vitória em pole position. Ainda, foi indicada para estrear nas 500 Milhas de Indianópolis, assim como na temporada da IndyCar Series.

Fonte: (Reprodução/Internet)

No ano de 2008, ganhou o título de primeira mulher vencedora do Indy Japan 300. Logo em 2009, se tornou a primeira atleta feminina a estar no pódio, em terceiro lugar, das 500 Milhas de Indianópolis.

Em 2010, conquistou o título da melhor performance de uma mulher em uma corrida da NASCAR Nationwide Series, sendo quatro lugar da corrida sediada em Las Vegas. Atualmente, Danica faz parte da equipe Stewart-Haas, competindo com o carro #10 pela Sprint Cup. Um de seus apelidos é “mulher maravilha”.

Natação – Natalie Coughlin

Natalie é uma atleta profissional de natação. Nascida nos Estados Unidos, é considerada a melhor nadadora do mundo. Nas Olimpíadas de Atenas em 2004, foi vencedora de cinco medalhas sendo duas delas de ouro, duas de prata e uma de bronze.

Fonte: (Reprodução/Internet)

A atleta ainda bateu o recorde da primeira mulher a concluir 100 metros costas em menos de 1 minuto, com a marca de 59.58 segundos. Pelo Campeonato Pan-Pacífico, foi campeã em diversas provas como 100m livres, 100m costas, 100m borboleta, revezamento 4×200 livre e revezamento 4x100m estilos.

Basquete – Diana Taurasi

Diana é natural da Califórnia, nos Estados Unidos. A atleta de basquete é uma das mais premiadas em sua modalidade. Atualmente é jogadora do Phoenix Mercury, com os seus 1,83m e 70kg.

Fonte: (Reprodução/Internet)

A atleta foi campeã mundial representando o seu país três vezes: 2010, 2014 e 2018. Em 2006, ficou em terceiro lugar. Já nas Olímpiadas, venceu quatro vezes consecutivas, iniciando em Atenas 2004, passando com vitória em Pequim 2008 e Londres 2012, finalizando o seu triunfo na Rio 2016.

Surf – Maya Gabeira

Maya é uma atleta de surf profissional, nascida no Rio de Janeiro, Brasil. Na categoria de Melhor Performance Feminina, Maya foi campeã quatro vezes consecutivas do Billabong XXL Global Big Wave Awards.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Em 2011, Maya caiu durante uma manobra e teve que ser resgatada pela equipe de resgate. Após isso, treinou apneia estática e mergulho até conseguir se manter por 4 minutos debaixo d’água. Em 2012, foi campeã novamente do Big Wave Awards.

Em fevereiro de 2020, entrou para o Guinness Book por ter sido a mulher que surfou a maior onda. No mar de Nazaré, em Portugal, a atleta pegou uma onda de 22,4 metros.

Tênis – Naomi Osaka

Naomi é uma atleta japonesa, que pratica tênis profissionalmente. Em 2018, ganhou o US Open na etapa Grand Slam, após derrotar a lenda da modalidade Serena Williams. Em 2019, quando venceu o Australian Open, conquistou o primeiro lugar mundial do ranking da WTA.

Fonte: (Reprodução/Internet)

A atleta possui um saque potente, que chega até 200 km/h. Por ter sido campeã de outros títulos de Grand Slam simples e se consagrado como a primeira da lista de atletas da WTA, é muito bem remunerada. O seu patrocínio de 2020 foi de US$ 34 milhões, enquanto os seus prêmios em dinheiro foram de US$ 3,4 milhão.

Futebol – Marta

Marta é uma jogadora de futebol brasileira. A atleta já foi eleita pela FIFA a melhor jogadora do mundo por seis vezes. Assim se consagrando a futebolista com mais títulos entre homens e mulheres. Em 2015, tornou- se a maior artilheira da seleção brasileira, comparando com o grupo feminino e masculino.

Fonte: (Reprodução/Internet)

Na Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2019, marcou um gol na partida entre Itália e Brasil, totalizando o seu 17º gol e assim se tornou a maior goleadora de Copas do Mundo feminina e masculina. Foi duas vezes vice-campeã dos Jogos Olímpicos.

Alex Morgan

Alex Morgan é uma jogadora de futebol nascida nos Estados Unidos. A atleta iniciou a sua carreira pela Universidade da Califórnia, em Berkeley. A trajetória de Alex não parou, até que chegou a hora dela conquistar a sua liga feminina americana, conhecida como National Women’s Soccer League, jogando pelo Portland Thorns FC.

Essas são as atletas femininas mais importantes da última década
Fonte: (Reprodução/Internet)

Defendendo a camisa de sua seleção, ela foi medalhista de ouro das Olimpíadas de Londres de 2012. Atualmente é jogadora do Orlando Pride, onde atua juntamente com a Marta.

As melhores do mundo

O esporte, assim como outra áreas da sociedade, também reflete por diversas vezes uma dificuldade estrutural em inserir e reconhecer as mulheres nos espaços. Embora as atletas sejam extremamente qualificadas, várias queixas sobre diferença de salários e até visibilidade do esporte feminino já foram levantadas com nomes dessa lista.

Contudo, o trabalho impecável, as diversas medalhas e premiações, marcam apenas o início de uma jornada rumo ao reconhecimento da mulher no esporte. Outro detalhe, é que, com esses nomes, todas se sentem muito bem representadas.