Tudo o que você tem que saber sobre o Combate Medieval

É possível que você já tenha ouvido falar sobre o combate medieval. Afinal, tudo o que está referido a medieval nos dá a ideia de antigo, agressivo, violento, não é mesmo? Isso se torna ainda mais verídico quando se tem atrás do nome a palavra combate

Porém, é muito importante estudar a história do combate medieval para a gente entender de onde vem algumas lutas atuais, como é o caso do MMA ou mesmo da luta greco-romano ou de gladiadores. O combate medieval pode ter sido uma das primeiras formas de lutar que existiu.

Tudo o que você tem que saber sobre o Combate Medieval
Foto: (reprodução/internet)

A origem do combate medieval

Acredite: o combate medieval é um esporte recente. Ué, como assim? Engana-se quem pensa que estamos falando de uma forma de combate que vem lá das guerras civis antigas, da Idade Média ou do povo romano, por exemplo. Oficialmente, esse combate é de 2008.

E a gente já vai explicar isso, continue lendo. O interessante, para esse momento, é entender que as batalhas acontecem hoje em ambientes preparados e que permite a luta individual, no formato um contra um ou em grupos, através de equipes. 

Após a oficialização, saiba que grandes eventos esportivos foram criados, como o Battle of the Nations, que é uma competição a nível mundial e existe desde 2009. Além disso, dá para saber que são variadas modalidades que acontecem no mundial, como o arremesso de machados.

As referências do combate medieval 

Agora sim a gente tem que dar um passo para trás na história. Afinal, esse combate é baseado em atividades que aconteciam antigamente. Estamos falando das batalhas da Idade Média. Hoje, quem fiscaliza e regulariza o esporte é a International Medieval Combat Federation.

O que é preciso entender é que o esporte é recente e foi criado com base em lutas da época medieval. Ficou claro isso, não é? Tanto é que hoje em dia há vários modos de batalhar dentro do combate medieval, como o 1×1, 16×16 e até mesmo os pequenos exércitos. 

E o que seria esses pequenos exércitos? Em 2019, um duelo foi feito com 150×150. Ou seja, eram 150 lutadores de cada time, totalizando 300 participantes. Agora, além de saber sobre os formatos, o legal é considerar que cada um deles tem um objetivo.

O objetivo do combate medieval

Em um duelo, quase sempre, a meta é fazer pontos. E isso vem de golpes limpos. Sendo que não basta apenas encostar a arma no adversário é preciso dar o golpe. Já em batalhas, o objetivo é derrubar os rivais. E quem derruba todos, ganha. 

Também é legal entender o enredo histórico. Assim, os guerreiros usam todos os equipamentos possíveis que existiram e foram usados nas épocas antigas. Isso quer dizer algo como espadas, armaduras e acessórios. E é preciso considerar os que são típicos de cada país.

Uma curiosidade é que as armas são de metal, porém, sem possibilidade de corte. Afinal, apesar de ser um esporte levado à sério, a ideia não é ferir ninguém. É porque que nas representações atuais quase não se tem guerreiros feridos. E há juízes fiscalizando isso.

A prática do combate medieval

Hoje em dia dá sim para praticar o combate medieval. Além do que é um esporte bem dinâmico e que exige muito condicionado físico e força do guerreiro. Por exemplo, a armadura, o elmo e a espada podem pesar mais de 30 quilos juntos.

Sabendo disso, o que aconteceu foi que muitos atletas começaram a praticar esse esporte como forma de treinamento para outros. Por exemplo, é comum ver jogadores de futebol americano lutando em combates medievais. Isso aumenta a resistência do atleta.

A dica para quem quer treinar, conhecer e praticar esse combate é frequentar lugares e escolas que são especializadas nele. Infelizmente, não é toda região e nem todo país que tem esse acesso, mas alguns sim, especialmente, na Europa. 

As regras mais comuns no mundo para o combate medieval

Agora que você conhece a maior parte desse esporte é hora de a gente falar sobre como tem funcionado essa luta nos dias atuais. Obviamente, é preciso respeitar as regras de cada competição. No entanto, saiba que os duelos são divididos masculinos e femininos. 

E dá para encontrar, ao menos 4 categorias bastante comuns, que são como variações do combate medieval. Por exemplo, em países sul-americanos, as disputas são em espadas de duas mãos, uma espada e um escudo, uma espada e um broquel ou a arma de haste. 

E ganha quem fizer mais pontos. Ou seja, quem acertar mais vezes os golpes no tronco, nos membros ou na cabeça do oponente. Lembrando que a cabeça vale mais pontos. Os golpes são validados por juízes e supervisores. Golpes no escudo ou de raspão não valem pontos.

O machado mais rápido

Abaixo, a gente vai comentar sobre a Batalha das Nações. Considere que esse evento tem inovado e criado nas categorias do combate medieval. Um dos mais recentes é o lançamento de machado e vence quem conseguir uma velocidade mais rápida de movimentos.

Por exemplo, no começo de 2021 a Natalia Shirdel, que é da Ucrânia, venceu o “Fastest Sword Challenge” com 49 golpes em 20 segundos. Os organizadores consideraram o resultado como impressionante porque ela é uma novata do esporte. 

Ainda falando do evento feminino, considere que a equipe da Suíça, que ainda não está inscrita nos jogos desse evento está planejando voltar para a próxima edição. Inclusive, elas são focadas no tipo de batalha chamado de 5×5. 

A Batalha das Nações

Assim, nós chegamos até o tópico que vai citar o maior evento esportivo de combate medieval do mundo, a Batalha das Nações. Considere que ele é visto como uma luta de artes marciais com armaduras e armas de aço. 

A própria organização conta sobre a história do evento em vídeo. Assim, a primeira edição foi na primavera de 2010 em uma Fortaleza Khotyn, na Ucrânia. Apenas 4 países participaram, sendo a Rússia, a Ucrânia, a Bielorrússia e a Polônia. A Rússia é a maior campeã até hoje.

Já no ano de 2019, a gente teve a última edição do evento. Sendo assim, em comemoração aos 10 anos, ele contou com número recorde de países, lutas por nomeações e novas modalidades também. Por exemplo, foi nessa edição que tivemos os pequenos exércitos de 150 guerreiros.

As principais Seleções que participam da Batalha

Se você gostou do esporte e tem o interesse em participar, um bom começo é saber se o seu país está inscrito na maior Batalha do mundo em termos de combate medieval, certo? Então, por isso, vamos citar aqui as principais seleções que hoje participam do evento. 

Além dos 4 países que estão desde a primeira edição, temos Israel, China, Brasil, Chile, Canadá, Croácia, Dinamarca, Austrália e Argentina. A Ucrânia é a que mais tem membros, sendo 65. A Rússia é a que mais acumula prêmios, sendo 61 ouros, 22 pratas e 23 bronzes.

A China tem um bronze. O Canadá conta com uma prata e um bronze. A Bielorrússia tem um ouro, uma prata e 8 bronzes. A Polônia tem 13 pratas e 5 bronzes. A Ucrânia é uma das melhores seleções da atualidade, com 5 ouros, 20 pratas e 9 bronzes. 

Mais sobre as Seleções de combate medieval

Só para que você tenha mais informações sobre o seu país, se é que ele participa do evento, saiba que a Ucrânia tem 65 guerreiros e está presente desde 2010, que foi a primeira edição. Depois, vem a Polônia e a Rússia, com 50 guerreiros cada e desde 2010, também.

Em seguida, a Bielorrússia, desde 2010, com 30 lutadores. O outro país que entrou na sequência, em 2011, foi Israel, que hoje tem 25 lutadores. Em 2013 entraram: Argentina (20 lutadores), Austrália (25 lutadores) e Dinamarca (10 membros).

Já em 2014 foi a vez da Croácia, com 8 lutadores. Em 2015 entrou o Canadá, com mais 8 competidores. E em 2017 foram duas novas seleções, o Brasil (30 lutadores) e a China (29 lutadores). Já o Chile entrou, mas ainda não deu tempo de participar do evento.

As regras da Batalha das Nações

Como falamos que cada competição tem a sua regra, considere que há regulamentos e requerimentos para participar da Batalha das Nações, também. E elas são divididas entre as categorias, como as que citamos acima. 

Além do mais, há requerimentos, como no caso de equipamentos de segurança, como é o caso do elmo (capacete), dos brasões de cada Seleção, dos escudos que são permitidos, da proteção de pescoço, entre outras. Tudo você pode ler e ver no site oficial do evento

O evento de 2021

Vale considerar que o evento de 2020 não aconteceu devido à pandemia global. Assim, o novo evento está marcado para o mês de julho de 2021. Logo, essa será a 11ª edição da Batalha das Nações. Oradea é o lugar escolhido como cidade-sede.

Assim, os duelos já aconteceram na Ucrânia, França, Polônia, Croácia, Itália, Sérvia, República Tcheca e Espanha. E, ao que tudo indica, chegará a novos lugares em breve.