Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) – Entenda

Você já deve ter visto algum filme que tenha no enredo um lendário atleta negro que levou o mundo a loucura ao vencer a prova de atletismo dos 100 metros no ano de 1936, durante as Olimpíadas de Munique, na Alemanha. Não viu? Saiba que é uma história real. 

E o nome do protagonista dessa história é Jesse Owens, que lutou não apenas contra os seus adversários da pista como contra o regime ariano de Adolf Hitler. Para Hitler, a supremacia vinha do físico e do intelecto dos arianos. Por isso, a vitória de Owens importou tanto.

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

Saiba o que vamos falar sobre essa história tão emocionante:

  • A política de extermínio de atletas
  • A escolha de Berlim para as Olimpíadas
  • Os momentos durante os Jogos
  • Mas quem é o Jesse Owens?
  • As conquistas de Owens
  • A medalha de Owens foi leiloada
  • Os Panteras Negras
  • Os jogos olímpicos de verão de 1936
  • A expressão da vitória de Owens
  • Os filmes que contam sobre Jesse Owens
  • A história de Kitei Son

A política de extermínio de atletas

A gente não tem como contar essa história sem começar com o seu ponto mais crítico e, com certeza, mais triste também. Hitler era um ditador alemão que assassinava ou forçava os atletas a deixarem o país se eles não estivessem… dentro do “padrão”. 

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

E qual era esse padrão? Formado por esportistas brancos, ascendentes de alemães e com o corpo que remetesse as esculturas gregas. Isso tudo ganhou força em 1933, conforme contam os estudos históricos. Por isso, judeus, ciganos e negros não tinham vez. 

Para se ter uma ideia e exemplificar a história, saiba que o judeu Erich Seelig, mesmo sendo um amador de sucesso e títulos, foi afastado (entenda aqui como expulso) da Associação de Boxe Alemã simplesmente por ser judeu. Algo que não faz sentido, ok?

A escolha de Berlim para as Olimpíadas

Agora, se você conhece esse título de Hitler pode estar se perguntando: como é que o COI, que é o Comitê Olímpico Internacional, aprovou que Berlim fosse sede dos Jogos? Acredite: a ideia era justamente ajudar o país a se colocar na história do mundo.

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

Isso porque eles estavam afastados do mundo com tudo o que aconteceu na 1ª Guerra Mundial. Logo, em 1933, ao notar que Hitler assumiu o cargo de administrador do país alguns países até tentaram cancelar os Jogos, mas sem êxito. 

Há ainda historiadores que acreditam que ninguém estava totalmente certo sobre a posição dos nazistas naquele ano. O fato é que ele aquele evento recebeu 49 países, sendo que a Alemanha tinha um número maior de esportistas, sendo 348. 

Os momentos durante os Jogos

O que mais impressiona os estudiosos de hoje é como Hitler conseguiu passar a falsa impressão de que o seu país estava “bem”. Assim sendo, não se via mensagens de judeus ou homossexuais, que foram apagadas de forma mágica. 

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

Além disso, a própria Alemanha foi o país que mais ganhou medalhas nessa edição. Porém esses mesmos historiadores dizem que a vitória de Owens e outros atletas negros ou asiáticos, por exemplo, deixou Hitler bastante incomodado. 

Se por um lado a gente teve essa falsa impressão durante os Jogos, saiba que alguns dias depois o regime totalitário e ditador voltou a funcionar. Wolfgang Fuerstner se suicidou após ser dispensado do Exército por ser judeu, por exemplo. 

Mas quem é o Jesse Owens?

Nascido em 1913 em uma cidade rural do Alabama, nos Estados Unidos, Jesse era neto de escravos e foi chamado de James Cleveland ou, simplesmente, JC. Após confusão sonora com o nome, amigos de escola o apelidaram de Jesse. 

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

No ensino médio, o professor notou o talento para o atletismo e a partir de 1930 ele começou a treinar para essa carreira. Ao mesmo tempo, trabalhava como engraxate. Em 1932, quando tinha 19 anos, não conseguiu entrar nas Olimpíadas de Los Angeles. Só que não desistiu. 

No ano seguinte, ele venceu 75 das 79 provas que disputou, quebrando até mesmo o recorde das 100 jardas. Assim, começou a ganhar bolsas de estudos, como da Ohio State University. Em 1935, conseguiu outro recorde mundial. Aliás, outros: em distância, 100 jardas e 220 jardas.

As conquistas de Owens

Então, para que você não tenha dúvidas, vamos lá. Jesse conseguiu 4 ouros nos jogos de Berlim, em 1936. O primeiro foi nos 100 metros rasos. Depois, nos 200 metros raros. E ele também levou o ouro no salto em distância. 

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

Já no trabalho em equipe, ele conseguiu o ouro no 4×100 metros rasos. Assim, acabou se tornando o 1º atleta a vencer 4 ouros em uma única Olimpíada. Em 2012, entrou no Hall da Fama para celebrar a Associação Internacional de Federações de Atletismo.

Owens morreu em março de 1980 em Tucson, no Arizona, vítima de cancro no pulmão, aos 66 anos. Esse ano foi a única participação de Owens nas Olimpíadas, que depois passou a buscar formas de sobreviver, seja fazendo apresentações ou sendo embaixador de Estado. 

A medalha de Owens foi leiloada

No ano de 2019 uma notícia apareceu na mídia e chamou muito a atenção. Isso porque cita um possível leilão sobre a medalha de ouro do Owens, que foi avaliada em R$ 2,5 milhões. Não se sabe, exatamente, sobre qual é a medalha, aliás, de qual pódio que ele venceu.

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

Mas o que se sabe é que independente disso ela tem um valor muito alto devido ao seu fator histórico. O preço inicial era de R$ 1 milhão, mas o arremate se deu por mais de R$ 2,5 milhões. Porém o valor é bem menor do que o preço da compra em 2013: R$ 6 milhões.

Com base em informações do Goldin Auctions, que é o responsável pelo leilão, a medalha faz parte do acervo do levantador de pesos John Terpak, que era amigo de Owens e recebeu a medalha do amigo. John faleceu em 1993. 

Os Panteras Negras

Mais tarde, durante as Olimpíadas do México, em 1968, outros dois negros americanos se tornaram uma espécie de “símbolo da resistência”. Isso porque Tommie Smith levou o ouro nos 200 metros rasos e John Carlos ficou com o bronze na mesma prova.

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

Assim, o fato histórico aconteceu quando eles subiram no pódio e, durante o hino nacional, baixaram a cabeça e ergueram o braço com o punho cerrado. Para quem não sabe, esse é um gesto dos Panteras Negras, um movimento contra o racismo negro.

A foto se tornou uma das emblemáticas em toda a história dos Jogos. Porém, Tommie e John foram expulsos daquela edição dos Jogos e as medalhas foram caçadas. Mas o lado bom é que a história sempre pode transformar guerreiros ou velocistas em heróis. 

Os jogos olímpicos de verão de 1936

A gente também precisa abrir um parêntese aqui para falar que essa foi uma das maiores edições dos Jogos Olímpicos que haviam acontecido até essa data. Ao todo foram quase 4 mil atletas, sendo pouco mais de 300 mulheres, de 49 países e 22 modalidades.

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

A maioria dos eventos aconteceu no Estádio Olímpico de Berlim e foi aberto por ninguém menos do que Hitler. Apesar da vitória do grupo de negros, o que inclui Owens, a Alemanha liderou com 33 medalhas de ouro. 

Nessa edição, mais de 40 países conseguiram ouvir os jogos pelos rádios, sendo essa a primeira transmissão de Olimpíadas. Tudo através das companhias Telefunken e Fernseh. Além do mais, o governo instalou telas em branco para que fossem projetadas as imagens dos jogos.

A expressão da vitória de Owens

Você pode não ter notado, mas essa exibição em telas e na rádio, além do público que lotava o estádio fez com que não fosse possível abafar a vitória do norte-americano negro. Mas, sem contar isso, Owens chegou a ouvir vários conselhos para desistir das provas.

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

Um deles veio de Lutz Long, que era um alemão que competia com o Jesse. Ele chegou a dizer para Owens, em praticamente todas as provas, para que desistisse. Ainda mais quando ele falhou na tentativa de se classificar para o salto em distância. Mas ele não desistiu.

E o alemão morreu em batalha, enquanto defendia a Wehrmacht, na Sicília, no ano de 1943. Mais tarde, devido ao espírito esportivo, ele foi condecorado com o título do Comitê Internacional Olímpico com a medalha de Pierre de Coubertin. 

Os filmes que contam sobre Jesse Owens

Para quem gosta de aprender com os filmes, saiba que nós temos grandes representações cinematográficas. Por exemplo, um filme que leva o nome de “Salute” e é de 2008. Tem ainda um que é mais antigo, chamado de “Leni Riefenstahl”, que é de 1993.

Jesse Owens, um atleta negro que venceu as Olimpíadas da Alemanha (1936) - Entenda
Foto: (reprodução/internet)

Curiosamente, Leni é o nome da cineasta que produziu o filme, que teria o nome original de “Os Deus dos Estádios”. O filme foi patrocinado pelo governo nazista e se tornou um documentário de muita qualidade. Portanto não é um filme sobre Owens e sim sobre as Olimpíadas e a Alemanha Nazista. 

Mais recentemente, nós tivemos um que levou o nome de “Raça” e ele conta justamente sobre esse negro americano que venceu as Olimpíadas e a superioridade racial dos alemães ao vencer a prova dos 100 metros. O filme é de 2016 e da Diamond Films.

A história de Kitei Son

Agora também é hora de a gente falar da história de Kitei Son. Esse é um nome falso para Sohn Kee-chung. O coreano representou o Japão na maratona e venceu a disputa. O problema é que o seu país de origem estava tomado pelo Japão, que era aliado da Alemanha na Guerra. 

Assim, ainda que falasse durante todo o tempo disso, ninguém ligava. Ele recebeu a medalha de ouro sob o hino japonês. Mas, em 1980, o COI reconhece a sua nacionalidade e cassou a medalha do Japão. Em 1988, durante os jogos de Seul, na Coreia, ele foi ovacionado.