Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais

Quem gosta de esporte sabe que praticamente todos os clubes possuem seus mascotes. E o mais legal é quando eles ganham uma personificação. Ou seja, saem do desenho e vão para a realidade. Isso é feito, geralmente, através da criação de bonecos.

Esses bonecos vão aos estádios, se divertem com as torcidas, apostam corrida entre si. É algo incrível. O problema é que alguns deles parecem ter sido criados sem muita criatividade ou inspiração. Abaixo, você vai ver alguns exemplos que foram longe demais. 

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

11- Hammerhead (West Ham – Inglaterra)

Vamos começar pela Inglaterra que talvez seja o país que mais tenha mascotes engraçados no futebol. Inclusive, esse semirrobô chamado Hammerhead faz o maior sucesso na internet. É isso mesmo: ele tem uma legião de seguidores no Twitter

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

Inclusive, chegou a aparecer também em um programa de TV para contar da sua fama. Aliás, ele é conhecido por chamar os mascotes adversários para uma disputa de corrida durante o intervalo dos jogos. E, geralmente, ele ganha as corridas. 

Para quem não se lembra, o West Ham venceu uma Recopa Europeia em 1964 e uma Intertoto em 1999. Além disso, tem Copa da Inglaterra, Supercopa da Inglaterra e FA Youth Cup no currículo. 

10- Gunnersaurus (Arsenal – Inglaterra)

Na verdade, esse fato inusitado é bem legal, viu. A gente colocou aqui como mascote inusitado, mas vamos combinar que foi, no mínimo, uma ideia criativa, vai. O dinossauro, do tipo Rex, é sempre visto no Emirates Stadium. 

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

Inclusive, em 2020 houve até uma polêmica sobre a demissão do mascote devido à pandemia da Covid-19 e um corte de gastos que foi anunciado. Mas os torcedores reclamaram e os diretores voltaram atrás. Assim, o Jerry Quy voltou ao seu papel de Gunnersaurus. 

9- Zebra (Juventus – Itália)

Está certo que ter uma zebra como mascote não é tão ruim assim. Mas para um clube do porte do Juventus parece algo inusitado, não é mesmo? A única referência encontrada está no fato das cores serem listradas em branco e preto. Mas nem sempre jogar com eles dá zebra, né.

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

Curiosamente, saiba que no Brasil, a gente também tem o Zebrão, que é o mascote do Esportivo, que fica em Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul. A escolha também não fez muito sentido, exceto pelo fato de ter sido através do voto popular dos torcedores. 

8- Baxter (Forfar Athletic – Escócia)

A Escócia não é um país que ama o futebol. Pelo menos, não como os brasileiros, argentinos, asiáticos, europeus de um modo geral. No entanto, lá tem um caso curioso. Um caso não, um pastel em forma de mascote. É isso mesmo. 

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

O clube semiprofissional que sempre varia nas divisões de baixo do escocês tem 135 anos de história, nenhum título… Só que tem o Baxter, que é um pastel elegante que fica animando os jogos do clube. E olha que a galera da Grã-Bretanha curte o modelo.

Entre as honras do clube, a gente tem 2 Ligas dos Condado de Forfarshire, 5 do Forfarshire Charity Cup e 9 do Forfarshire Cup. Além da taça de qualificação da Escócia, que aconteceu em 1946. 

7- Super Pepino (Leganés – Espanha)

O primeiro clube espanhol que vamos citar aqui é o Leganés, que fica na região de Madrid e tem um pepino gigante como mascote. Na verdade, ele é um super-herói, o Super Pepino, que usa máscara e tudo mais. Está sempre no Estádio Municipal de Butarque. 

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

Ele nasceu como símbolo da tradição da cidade, que é uma das principais exportadoras de pepino. Vale lembrar que ele ficou um pouco sumido, mas voltou à ativa com a melhor fase do clube, em 2018, que se consolidou na primeira divisão do espanhol. 

O Leganés tem 92 anos de vida e está na La Liga 2. No entanto, já chegou a contar com jogadores famosos no seu elenco como o Samuel Eto’o de Camarões, Pierre Webó do mesmo país, Paulo Torres e Bizarro de Portugal, além de Mario Turdó, da Argentina. 

6- Alienígena (Manchester City – Inglaterra)

O alienígena é o mascote de um dos maiores da Inglaterra. Mais do que isso, eles eram um casal, formado por Moonchester e Moonbeam, só que agora só aparece o Moonchester e ninguém sabe sobre o desaparecimento do outro integrante. 

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

Os alliens azuis tem sorrisos grandes e orelhas de coelho, o que deve ter acontecido por alguma mutação genética. Lembrando que eles vieram do Blue Moon, que está no hino do clube inglês. Por isso, ambos possuem o Moon nome. Faz sentido, não faz?

5- Crusty (Wigan – Inglaterra)

Imagine só uma torta gigante andando pelo campo de futebol da Inglaterra. Sim, pode ter certeza que você está vendo o mascote do Wigan, que é um clube que chegou a participar da Premier League nos últimos e até venceu uma Copa da Inglaterra em 2013.

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

O Crusty, por sinal, é a criação de duas crianças, que na época tinham 8 e 9 anos. O clube gostou e adotou a ideia. Assim, o mascote passou a ser usado na última temporada. No entanto, sem dar muita sorte ao clube inglês, que lutava pelo rebaixamento. 

Entre todos os títulos que o clube tem, além da Copa da Inglaterra, que foi o mais importante, dá para considerar o EFL Troféu, que foi vencido duas vezes, em 1984 e 1998. Atualmente, o camisa 10 é o Will Keane. 

4- Pé Quente (Novo Hamburgo – Brasil)

O Pé Quente é um mascote brasileiro. Ele pertence ao Novo Hamburgo, que fica no Rio Grande do Sul. Aliás, a cidade é conhecida por ser a capital nacional do sapato e o clube, aparentemente, quis fazer essa homenagem – que pode não ter dado tão certo assim. 

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

O personagem animador da torcida até que é bonitinho, vai. No entanto, nada mais é do que uma sola de sapato velho gigante, o que o torna bastante inusitado. Aliás, quem criou o mascote foi um torcedor do clube, chamado de Roberto Birk. 

Como premiação pelo mascote criado, Birk é quem veste a roupa todo jogo do Novo Hamburgo. E você teria coragem? Pelo menos dá para ver o jogo mais de perto, né. 

3- Erwin (Schalke 04 – Alemanha)

Na Alemanha a gente também encontra pérolas entre os mascotes. O Erwin tinha tudo para ser um mascote interessante. Porém, o rosto dele é feito apenas de nariz o que o torna um verdadeiro Objeto não Identificado. 

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

O lado bom é que ele parceiro do clube, já que está lá em todos os jogos que acontece na casa do time alemão. E fica até após o final do jogo, quando o juiz apita, para marcar presença entre a garotada. A gente só não sabe quem é que tem coragem de dar um abraço no mascote.

Sobre o Schalke, o clube foi fundado em 1904. Entre os principais títulos conquistados ao longo da história, a gente tem 7 campeonatos alemães, 5 Copas da Alemanha e um total de 19 entre os nacionais e internacionais. O mais importante foi a Copa de Uefa em 1996.

2- Palmerín (Betis – Espanha)

Se tem um clube tradicional na Espanha, que não faz partes dos grandes atuais, mas sempre marcou presença na história do país é o Betis, não é mesmo? O clube chegou até a jogar a Liga dos Campeões. O que não foi legal foi a criação do Palmerín. 

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

Bom, para quem não sabe, Palmerín é uma árvore da família das palmeiras. E esse é o mascote do Betis, que está em todos os jogos do clube. Inclusive, ele faz o maior sucesso com as crianças e sem contar que é um entoador da canção do clube. 

Curiosamente, existe um livro infantil que tem o personagem como protagonista e conta, não por acaso, a história de um dos clubes mais tradicionais da Espanha, que tem mais de 1 século de vida. 

1- Ema (Luverdense – Brasil)

E vamos fechar com mais um brasileiro na lista, a Ema do Luverdense, de Mato Grosso. É claro que homenagear uma ave é algo muito bacana e até mesmo indicado. No entanto, na hora de criar as figuras, parece que os organizadores não possuem muita dedicação, certo?

Esses mascotes de times dessa vez foram longes demais
Foto: (reprodução/internet)

As emas são comuns em Lucas do Rio Verde, que é onde fica esse clube. Mas uma ema igual essa daí só se encontra em dia de jogos mesmo. 

O Luverdense é um clube que além da ema tem como mascote um espiga de milho em homenagem a produção da sua cidade. Outra coisa é que é um dos clubes mais jovens do país, com 17 anos, apenas. Atualmente, está na 1ª divisão do estadual. 

Curiosidade – mascote de clube japonês de rúgbi

Sunwolves. Esse é o nome do clube japonês que disputa partidas de rúgbi. O único problema é que eles escolheram um lobo que é um tanto quanto assustador. Tanto é que nenhuma criança quer tirar foto ao lado dele. 

Há quem diga que a cara dele é a de quem acabou de assassinar uma família de coelhos indefesos. Sendo assim, ao que tudo indica, a escolha terá que ser refeita ou o mascote pode não dar os resultados esperados visando o carisma com o torcedores.