Giovanni Reyna: posso me tornar um dos 10 melhores jogadores do mundo

O adolescente americano estabeleceu-se ao lado do Dortmund nesta temporada, além de deixar sua marca no cenário internacional.

Giovanni Reyna, estrela do Dortmund, destacou sua intenção de se tornar um dos dez melhores jogadores de futebol do mundo. O jovem de 18 anos já se afirmou como uma das jovens estrelas mais promissoras do Borussia Dortmund esta temporada, mas admitiu que no início achou difícil se adaptar ao novo ambiente.

Reyna fez sua estreia na equipe principal em janeiro de 2020, depois de chegar da academia de Nova York apenas seis meses antes, e teve dificuldades para se estabelecer na Alemanha. Continue lendo o artigo para saber mais sobre esse jovem promissor no mundo do futebol.

Foto: reprodução/ internet.

Um futuro brilhante pela frente

“A parte mais difícil de se mudar para a Alemanha, porém, foi sair de casa. Sou um garoto de família”, disse ele, em declarações ao The Players ‘Tribune. “Mesmo antes de vir para cá, eu não saía com os amigos com tanta frequência. Prefiro passar uma noite em casa do que uma fora. Então, nos primeiros seis meses, foi muito difícil morar sozinho.”

Apelidado de “O Sonho Americano” por seus companheiros do BVB, o meio-campista ofensivo se tornou uma peça central na equipe de Lucien Favre nesta temporada, contribuindo com três gols e seis assistências em 18 partidas em todas as competições.

Giovanni Reyna: posso me tornar um dos 10 melhores jogadores do mundo
Foto: reprodução/ internet.

A forma impressionante do adolescente valeu-lhe a primeira convocação para a seleção nacional em novembro e, após marcar na estreia, Reyna tem ambições de se tornar um talento de classe mundial.

“Já sinto que estou me tornando parte da nova geração de grandes jogadores. Não quero me tornar apenas um bom jogador americano. Quero ser consistentemente um dos dez melhores jogadores do mundo.”, declarou o jovem.

“Um jogo que joguei pelo Dortmund no início deste ano fez aquele gol parecer realista para mim. Estou falando sobre o jogo da Champions League em fevereiro, quando fui substituído contra o Paris Saint Germain.”

“Quando eu joguei aquele jogo e recebi uma assistência, algo simplesmente clicou dentro da minha cabeça. Tipo, uau, se eu continuar nesse caminho, posso realmente me tornar um jogador de classe mundial. Acho que aquele jogo mostrou a todos que não sou apenas um talento que vai desaparecer. Estou aqui para ficar”, concluiu.

Veja também: Dominik Szoboszlai: Alvo do Arsenal decide ingressar no RB Leipzig

Traduzido e adaptado por equipe Esporte Certo

Fonte: Football Critic