Conheça todos os campeões mundiais do Futebol Olímpico

Brasil, Itália e Alemanha são algumas das seleções mais vencedoras da história da Copa do Mundo, mas quando falamos de Jogos Olímpicos, modalidade disputada entre atletas sub-23, será que os mesmos países conseguem se destacar? Ao longo da história, vimos que isso nem sempre é verdade.

Muitas nações, que atualmente não carregam muita tradição no meio, já conquistaram o ouro olímpico no futebol, e isso não aconteceu apenas uma vez. As Olimpíadas também foram responsáveis por apresentarem diversos craques para o futebol mundial, como será possível conferir no artigo a seguir.

Seleção brasileira comemora conquista de ouro inédito no futebol. Foto: (Ministério do Esporte)

1900 – Grã-Bretanha é a primeira campeã olímpica

A primeira edição das Olimpíadas que contou com o futebol como modalidade foi a de 1900, e o formato adotado não foi o de mata-mata, como somos acostumados. O time vencedor seria o que tivesse o melhor percentual de vitórias nos jogos disputados entre equipes da Grã-Bretanha, França e Bélgica.

Elenco campeão da primeira edição. Foto: (reprodução/internet)

O time da Grã-Bretanha não foi derrotado durante a competição, o que acabou lhe rendendo a medalha de ouro. A França ficou em segundo lugar, e a Bélgica teve que se contentar apenas com o bronze Olímpico. Formato bem diferente de torneio.

1904 – Canadá como surpresa

Por mais incrível que isso possa parecer, o Canadá tem uma medalha de ouro nas Olimpíadas. O país conquistou ela em 1904, onde o formato da competição era bem diferente, com times representando os países ao invés das seleções de fato.

Galt F.C. rendeu uma medalha de ouro para o Canadá. Foto: (reprodução/therecord.com)

O Canadá venceu o torneio graças ao Galt F.C., e o segundo e terceiro lugar ficaram com os Estados Unidos, de tão confusa que era a competição. Até hoje a FIFA não reconhece que essa foi uma disputa válida de Olimpíada.

1908 – Um novo formato é adotado

A competição de 1908, jogos realizados em Londres, contou com a Grã-Bretanha como grande campeã novamente. O torneio, agora disputado em formato de eliminação, com uma grande final na decisão, é considerado como o primeiro de fato válido no mundo do futebol.

Elenco britânico campeão da primeira disputa olímpica. Foto: (reprodução/internet)

A Grã-Bretanha venceu a Dinamarca na final, por 2 a 0. Um fato impressionante sobre este torneio é que a média de gols por partida era de 8 gols, número completamente fora da realidade para os padrões atuais.

1912 – Domínio inglês prevalece na competição

Pela terceira vez em quatro edições do torneio, a Grã-Bretanha acabou se sagrando campeã do torneio. Mais uma vez a vitória veio contra a Dinamarca, em partida que terminou de 4 a 2 para a equipe campeã.

O elenco responsável pela terceira medalha de ouro da Grã-Bretanha no futebol. Foto: (reprodução/wikiwand.com)

A edição do torneio aconteceu em Estocolmo, na Suécia, e contou com incríveis 5,73 gols de média por partida. Por mais que não seja tão forte no futebol acima do sub-23 atualmente, o time inglês sempre conseguiu se destacar nas categorias olímpicas.

1920 – Bélgica campeã pela primeira vez

Por conta da Primeira Guerra Mundial, a edição de 1916 não pôde acontecer normalmente, nos forçando a pular para 1920. No ano em questão, tivemos a Bélgica campeã olímpica pela primeira vez, em torneio que ficou marcado por uma polêmica final.

Bélgica vence após polêmica envolvendo a arbitragem. Foto: (reprodução/internet)

A Tchecoslováquia não estava satisfeita com a arbitragem da partida, quando o jogo já estava marcando 2 a 0 a favor da Bélgica. Com isso, a equipe se retirou de campo e o título acabou ficando com a seleção adversária. A disputa pelo terceiro lugar acabou rendendo a prata da competição.

1924 – Uruguai começa a mostrar sua força

Hoje é uma seleção respeitada, mas durante a década de 20, a seleção uruguaia era, possivelmente, a mais forte do mundo. E o time conseguiu mostrar isso na edição das Olimpíadas de 1928, realizada em Amsterdã.

A lendária Celeste Olímpica. Foto: (reprodução/blogdoabdul.wordpress.com)

A seleção, repleta de jogadores lendários do país, conseguiu vencer a final por 3 a 0, contra o time da Suíça. Foi a vitória com a maior diferença de gols já registrada em uma final da época, fato que deu ao Uruguai status de potência mundial do futebol.

1928 – Uruguai vence final sul-americana

Além do Uruguai, outra equipe muito poderosa da época era a Argentina, o que fez com que os dois times se enfrentassem na grande final do torneio. A partida, no tempo normal, terminou empatada por 1 a 1 entre as duas potências sul-americanas.

A imbatível seleção do Uruguai da década de 20. Foto: (IOC)

No entanto, na prorrogação, a Celeste Olímpica conseguiu a vitória por 2 a 1, placar que lhe rendeu mais uma medalha de ouro. O time uruguaio ainda conseguiria conquistar a Copa do Mundo de 1930, de tão forte que era o elenco.

1936 – Itália também consegue seu primeiro título

Em jogos realizados em Berlim, na Alemanha, tivemos a Itália debutando como campeã olímpica. A partida final terminou de 2 a 1, vencida na prorrogação pela seleção italiana contra o poderoso time da Áustria.

Seleção história da Itália. Foto: (reprodução/calciopedia.com.br)

No entanto, o torneio ficou marcado pela organização ter cancelado um jogo em que a Áustria foi derrotada pelo Peru, após uma invasão de torcedores ao gramado. O Peru, que havia vencido, se recusou a jogar outra partida, o que fez com que a Áustria avançasse.

1948 – Nem só de Ibrahimovic vive a Suécia

Se engana quem acha que a Suécia só ganhou relevância no cenário internacional depois do surgimento de Ibrahimovic. Nos Jogos Olímpicos de 1948, a seleção conseguiu a medalha de ouro após vitória de 3 a 1 sobre a Iugoslávia na final.

Jogadores de Suécia e Iugoslávia disputam bola na final do torneio. Foto: (reprodução/ludopedio.com.br)

Foi o primeiro e único título olímpico da seleção da Suécia, ao menos até o momento atual. Vale destacar que, em 1940, e 1944, não houve Olimpíadas, pois a Segunda Guerra Mundial estava em vigor e influenciou as principais nações do mundo.

1952 – O mundo conhece Puskás

Os Jogos de 1952, realizados em Helsinque, foram os grandes responsáveis por apresentar Ferenc Puskás ao mundo, um dos maiores gênios da história do futebol. O craque, grande destaque do torneio, conseguiu levar sua seleção à glória nesta edição do torneio.

Ferenc Puskás, o maior nome da história do futebol húngaro. Foto: (reprodução/ogol.com.br)

Com isso, a Hungria conseguiu seu primeiro título olímpico, que é lembrado até os dias atuais pelos saudosistas de futebol. A influência do estilo de jogo húngaro permanece vivo até os dias atuais, e muitas lendas, como Puskás e Sándor Kocsis estavam no elenco campeão.

1956 – URSS mostra força dentro de campo

Além da força militar, a União Soviética também podia se gabar de sua força dentro de campo. O país se consagrou campeão das Olimpíadas de 1956, realizadas em Melbourne, após vitória de 1 a 0 sobre a Iugoslávia na grande final.

Yashin mostrando seu talento ao mundo. Foto: (reprodução/trivel.com.br)

O time contava com o lendário goleiro Lev Yashin, o Aranha Negra, em seu elenco. O goleiro, considerado por muitos como o melhor da história, foi uma das peças mais importantes para a conquista da seleção soviética.

1960 – Depois de bater na trave, enfim o título

Depois de ser vice-campeã do torneio nas duas últimas edições, a Iugoslávia enfim conseguiu a medalha de ouro após vencer a Dinamarca na final, pelo placar de 3 a 1. No entanto, a competição ficou marcada por uma tragédia antes mesmo de começar.

Elenco responsável pelo ouro olímpico iugoslavo. Foto: (reprodução/medium.com)

Oito jogadores da Dinamarca tinham sido vítimas de um acidente aéreo antes da competição começar, e a seleção quase não participou do torneio por conta disso. Resolveu jogar, e ainda conseguiram uma medalha de prata para levar para casa, motivo de grande orgulho.

1964 e 1968 – Hungria mostra sua força sem Puskás

Se engana quem acha que a seleção húngara conseguiu destaque apenas quando tinha Puskás no elenco. Em 1960, edição realizada em Tóquio, a Hungria foi campeã após bater a Tchecoslováquia na final, pelo placar de 2 a 1.

Disputa pela medalha de ouro em 1964. Foto: (reprodução/trivela.com.br)

Depois disso, na edição de 1968, na Cidade do México, mais uma medalha de ouro foi parar na galeria da Hungria. Depois de vitória esmagadora por 4 a 1 sobre a Bulgária na final, a seleção mostrou mais uma vez como poderia ser perigosa mesmo sem sua principal estrela.

1972 – Polônia derrota a potência húngara

A Hungria era a seleção mais forte do mundo no momento, porém, não conseguiu levar o tricampeonato para casa. A Polônia, em campanha surpreendente, conseguiu o ouro olímpico após vencer a final contra a seleção húngara, pelo placar de 2 a 1.

Elenco responsável pela única medalha de ouro da Polônia no futebol olímpico. Foto: (reprodução/trivela.com.br)

Foi a primeira e única conquista, até o momento, da seleção da Polônia. Um fato curioso sobre o torneio é que a disputa pelo terceiro lugar, entre a URSS e a Alemanha Oriental acabou empatada, e as equipes decidiram dividir o bronze.

1976 – Alemanha campeã pela primeira vez

Assim como o Brasil, a Alemanha também demorou para conseguir conquistar seu primeiro título. Porém, o país era dividido em dois na época da competição, e o troféu acabou ficando com a Alemanha Oriental, mais voltada para a ideologia comunista.

Decisão entre Alemanha Oriental e Polônia. Foto: (reprodução/culturafc.wordpress.com)

O torneio foi disputado em Montreal, e contou com a vitória da Alemanha Oriental contra a Polônia na final, pelo placar de 3 a 1. Apesar de ser uma potência futebolística, o país nunca mais conseguiu conquistar a competição novamente.

1980 – Tchecoslováquia enfim consegue a medalha

A Tchecoslováquia já havia batido na trave uma vez, contudo, em 1980, em edição realizada em Moscou, a equipe não voltaria a amargar a derrota na final. Conseguiu voltar com a medalha de ouro para casa, após vencer a Alemanha Oriental. Confira os melhores momentos da partida clássica.

A seleção conseguiu, após vitória de 1 a 0, conquistar a inédita medalha. Além das duas seleções, outras que merecem destaque são a União Soviética e a Iugoslávia, que ficaram em segundo e terceiro lugar no torneio, respectivamente.

1984 – Começa a sina brasileira contra a França

O Brasil tem sérios problemas quando encontra a França em competições importantes, e o problema teve origem em 1984, quando a seleção perdeu a chance de conquistar a medalha de ouro contra os franceses. A seleção europeia venceu a final por 2 a 0.

França e Brasil se enfrentam na final olímpica. Foto: (Baú do Futebol)

A seleção canarinha até tem mais vitórias no histórico do confronto, porém, perdeu grande parte dos jogos importantes. O Brasil contava com nomes consagrados no elenco, como Dunga, Ademir, Milton Cruz, Mauro Galvão e Gilmar Popoca (eleito melhor do torneio).

1988 – União Soviética dá mais uma prata ao Brasil

O Brasil chegou à final mais uma vez em 1988, nas Olimpíadas de Seul, no entanto, teve que se contentar com a prata novamente. Derrotado na final pela União Soviética, a seleção brasileira viu o sonho ir para o ralo na prorrogação, em derrota por 2 a 1.

Romário sofre com a dura marcação soviética em Seul. Foto: (reprodução/melhoresdabase.com.br)

A seleção tinha tudo para sair com a medalha de ouro do torneio, mas não conseguiu vencer a grande final. No elenco, o Brasil tinha ninguém menos do que Romário, Bebeto, Neto, Ricardo Gomes, Jorginho, Taffarel, Mazinho e muitos outros craques lendários.

1992 – Espanha consegue a medalha pela primeira vez

Em 1992, tendo Barcelona como sede, a Espanha conseguiu sair com a medalha de ouro nos Jogos Olímpicos pela primeira vez. O país venceu a Polônia por 3 a 2 na grande final, que foi disputada no Camp Nou, estádio do Barça até os dias atuais.

Seleção espanhola que contava com Guardiola no elenco. Foto: (reprodução/blogs.correiobraziliense.com.br)

Contudo, a seleção não conseguiu voltar a vencer a competição até o presente momento. O time contava com várias peças que se tornaram grandes jogadores e treinadores no futuro, como Josep Guardiola e Luis Enrique, que comandaram o Barcelona.

1996 – Nigéria conquista o primeiro ouro para o continente africano

1996 foi uma Olimpíadas histórica, já que a Nigéria conseguiu levar a medalha de ouro para o continente africano pela primeira vez, ao vencer a Argentina de Gallardo, Ortega, Simeone, Zanetti e Crespo na grande final. O jogo terminou em 3 a 2.

Ronaldo disputa bola contra nigeriano em decisão. Foto: (reprodução/radioglobo.globo.com)

Além disso, também ficou marcada pelo jogão entre Brasil e Nigéria, onde a seleção africana venceu a brasileira. O Brasil tinha Rivaldo, Ronaldo, Luizão, Marcelinho, Sávio e muitos outros craques no elenco, mas mesmo assim, não conseguiu parar Kanu e Okocha no ataque.

2000 – Samuel Eto’o mantém o ouro na África

Camarões venceu a edição de 2000, realizada em Sydney, fazendo com que o ouro olímpico se mantivesse no continente africano. A decisão foi contra a seleção da Espanha, que contava com os jovens Puyol e Xavi Hernández entre seus maiores destaques.

Camarões conquistando seu lendário ouro olímpico. Foto: (reprodução/fuertebomba.wordpress.com)

O título foi decidido nos pênaltis, com Camarões vencendo por 5 a 3 a disputa. O grande destaque da seleção africana era Samuel Eto’o, que no futuro se consagraria como um dos melhores atacantes do século. Além dele, Mboma também fez excelente campeonato.

2004 – Seleção argentina repleta de craques

As Olimpíadas de Atenas contou com a Argentina campeã, conquistando a medalha de ouro pela primeira vez em sua história. O jogo final foi contra o Paraguai, em partida que terminou de 1 a 0 para nossos hermanos. O time vencedor era repleto de craques.

Tévez, a grande revelação das Olimpíadas de 2004. Foto: (reprodução/90min.com)

Muitos deles acabariam jogando no Brasil, além de também fazer sucesso na Europa, anos depois. Carlos Tévez, Lucho González, Mascherano e D’Alessandro são alguns dos nomes. Além deles, Saviola, que fez história no Barcelona, fazia parte do elenco.

2008 – Argentina ainda mais poderosa

Se o time de 2004 da Argentina já era forte, o de 2008 era ainda mais poderoso. O time conseguiu o bicampeonato sem maiores dificuldades, mas o grande adversário da final foi a Nigéria, que tinha ganho a decisão de 1996 dos hermanos. O jogo acabou em 1 a 0.

Aguero e Di María comemoram gol contra Brasil. Foto: (reprodução/trivela.com.br)

O time de 2004 já era bastante qualificado, mas com Lavezzi, Riquelme, Di María e Lionel Messi no elenco, não tinha como não elevar o nível técnico da equipe. Medalha fácil para a seleção olímpica mais poderosa do mundo no momento.

2012 – México acaba com o sonho brasileiro

A seleção mexicana conseguiu o primeiro ouro olímpico de sua história em 2012, nos Jogos de Londres. O time venceu o Brasil na grande final, em partida que terminou em 2 a 1. A equipe brasileira tinha grandes expectativas para o torneio, mas acabou batendo na trave.

Neymar lamentando derrota na final do torneio. Foto: (AFP)

O elenco brasileiro, que contava com Neymar, Lucas Moura, Ganso e Alexandre Pato entre seus principais jogadores, além de Leandro Damião e Oscar em excelente fase, não foi páreo para a equipe que tinha Giovani dos Santos como principal jogador.

2016 – O tão sonhado ouro brasileiro

Nas Olimpíadas Rio 2016, o Brasil conseguiu conquistar seu primeiro ouro olímpico. A seleção, que contava com Neymar, Gabriel Jesus e Gabigol no ataque, teve dificuldades no início do torneio, mas quando deslanchou, se consagrou campeão do torneio.

Neymar chora após converter o pênalti que deu a medalha para o Brasil. Foto: (Getty Images)

A grande final foi contra a Alemanha, e o jogo só foi decidido nos pênaltis, onde o Brasil conseguiu sair vitorioso por 5 a 4. Muitos dos jogadores deste elenco são ídolos atuais da garotada, com muitos deles jogando ainda no próprio país.