Treinador sul-coreano de patinação é condenado à prisão por abusar de atleta

Nesta quinta-feira (21), Cho Jae-beom, ex-treinador sul-coreano de patinação em velocidade no gelo, foi condenado a 10 anos e seis meses de prisão por ter abusado a atleta Shim Suk-hee, de 23 anos.

Suk-hee é duas vezes medalhista olímpica de patinação no gelo pelas Olimpíadas de Inverno de PyeongChang de 2018. Além de cumprir a pena em regime fechado, Jae-beom precisa prestar 200 horas de tratamento para abusadores sexuais.

Treinador sul-coreano de patinação é condenado à prisão por abusar de atleta
Fonte: (Reprodução/Internet)

Após denúncia da atleta, outras declararam ter passado por situação semelhante

Após a prisão do ex-treinador ser decretada, Shim Suk-hee afirmou esperar que a decisão da Justiça faça com que outras vítimas sejam ajudadas. Por fim, a atleta escreveu que espera que casos parecidos não ocorram novamente.

Em 2019, a vítima denunciou o ex-treinador por estupro desde os seus 17 anos. Após a denúncia, outras cinco atletas da mesma modalidade também manifestaram os abusos que sofreram de seus técnicos. Os nomes das outras mulheres não foram revelados.

O grupo conhecido como “Solidarity for Young Skaters”, foi que apurou as outras denúncias de casos parecidos. Na época, diversas mulheres praticantes da luta olímpica, do judô e do taekwondo, estavam denunciando os seus técnicos por abusos sexuais.

Treinador cumpria 10 meses de prisão até encerramento do caso

O técnico havia sido demitido um ano antes da denúncia, previamente aos Jogos Olímpicos de Pyeongchang de 2018. Após o depoimento da atleta, o ex-treinador estava cumprindo uma pena de 10 meses. A defesa do agressor negava a acusação.

Após a denúncia, um movimento foi iniciado na Coréia do Sul, este que combate o abuso sexual no esporte do país. Outro nome que ainda responde judicialmente é o de Jeon Myeong-gyu, também ex-treinador e um dos principais nomes da patinação no gelo da Coréia. Jeon é acusado de tentar pressionar as vítimas em uma tentativa de silenciamento.

A promotoria do caso concluiu que Shim Suk-hee foi abusada sexualmente em 30 eventos, dentro do período que engloba 2014 a 2017. Cho Jae-beom mudou a sua narrativa e assumiu a culpa em agressões físicas e verbais, mas negou qualquer estupro.

A Corte considerou que as provas da patinadora, como as testemunhas e algumas mensagens de texto, verificaram o delito por parte do treinador.  

Ex-nadadoras acusaram treinador de abuso e assédio sexual no Amazonas

Em dezembro de 2020, a CNN divulgou a investigação jornalística de supostos abusos e assédios sexuais cometidos pelo presidente da Federação Amazonense de Desportos Aquáticos (Fada), Victor Hugo Lopes Façanha, também apelidado de “Botinho”, contra ex-nadadoras menores de idade.

Algumas nadadoras, que preferiram não exibir o nome, o acusaram de toques em partes íntimas, beijos sob pressão contra parede, além do pedido de fotos íntimas e de relações sexuais na casa do possível agressor. Confira a reportagem na íntegra

Até o momento, processos judiciais correm em sigilo. Vitor Façanha desistiu de se candidatar à reeleição da presidência da Fada. A defesa do treinador, encabeçada por Davi D’Angeres, negou todas as acusações.

Em entrevista ao G1, afirmou que nenhum esportista do Amazonas já ouviu falar sobre atitudes criminosas por parte do “Botinho”. Por fim, afirmou que não teve acesso a informações e que, por isso, nega veemente qualquer possibilidade.